RSS

O melhor amigo do Mundo: Capítulo 4 (e último)



Capítulo 4
                               Meu celular tocou eu fui correndo atender na esperança de ser o Joe.
Demi: Oi!
Joe: Te acordei?
Demi: Não, não consigo dormir aqui sozinha sem você.
Joe: Nem eu... Queria ouvir a sua voz, por isso te liguei.
Demi: Que bom que ligou... Estava preocupada com você, não sabia se tinha chegado bem.
Joe: Eu estou bem, mas estou sem você.
Demi: Eu quero você, Joe._Comecei a chorar.
Joe: Não chora, pequena! Eu não posso voltar, vai ser melhor assim... Pode viver a sua vida sem achar que vai me ferir.
Demi: Não, minha vida é com você ao meu lado, Joe. Eu preciso de você!
                        Depois de muito choro e pedidos para vir embora, desligamos o celular.
                        Chorei tanto na cama que acabei dormindo.
                       
                        Acordei com a campainha sendo fuzilada lá embaixo, quem quer que seja vai desistir! No mesmo instante que pensei a campainha parou e quando estava quase dormindo de novo, meu celular tocou.
Mi: Você vai abrir essa porta ou a Selly vai quebrar sua campainha?
Demi: Tá! Já vou!
                        Desci e abri a porta.
Sel: Nossa Demi! O que aconteceu com você?
Mi: Selly!
Demi: O que tem em mim?_ Observei a roupa do Joe, agora minha, e não havia nada de errado.
Sel: Não, é que você está... Com o olho inchado. Não só o olho como todo o seu rosto. Parece até que levou um soco._ Resultado de uma noite de choro.
Demi: Ah! Não deve ser nada...
Mi: Conta logo! Já sabemos que passou a noite chorando.
Demi: O Joe que contou né?
Mi: Não, sua cara denuncia.
Demi: Sinto falta dele._ Comecei a chorar de novo e as meninas me abraçaram.
                        Elas tentaram me animar o dia inteiro, mas não deu muito certo, eu tive que fingir uma alegria. Se Joe estivesse aqui ele ia saber que esse sorriso é falso e logo ia me fazer sorri de verdade.
                        Logo a noite chegou e elas tiveram que ir... E lá estava eu, sozinha de novo, repeti o mesmo da noite passada, chorei na sala, na cozinha, no banheiro, no meu quarto, no quarto do Joe voltei a vestir a roupa dele e ele me ligou. Conversamos e eu chorei muito até eu cair no sono, chorando claro.

                        Aquilo já estava virando rotina, até a sexta-feira - dia do café. Arrumei-me como deu, ou seja, de qualquer jeito. Na verdade eu não queria ir... Ficar sem o Joe é muito difícil. Eu quero meu Joe de volta.
Mi: Demi, porque a senhorita está com essa roupa?_ Não sei o que havia de mal com essa roupa. Eu estava de vestido, não tinha nada de mal.
Sel: Esse vestido é ridículo!
Mi: Selly!
Sel: Eu não vou mentir! Demi, de onde você tirou esse vestido horrível, ele é verde!
Demi: Só porque você não gosta de verde, eu não posso usar?
Mi: Desculpa, mas esse vestido é feio mesmo.
Demi: Ah!_ Deitei na cama, quer dizer me joguei._ Eu não quero ir! Olha, vão vocês... Namorem e divirtam-se... Não estou no clima de festa, estou com sono e quero dormir.
Sel: Nada disso! Vai tomar um banho que a Mi e eu vamos escolher uma roupa linda para você.
Demi: Eu já disse que não quero..._ Coloquei o travesseiro no meu rosto.
Mi: Quem disse que te perguntamos!_Mi me arrastou para o banheiro.
                       
Depois de muita demora, estamos aqui no café. Está lotado de gente! Se Joe estivesse aqui ele iria reclamar muito. Eles se divertiam, tomavam o café, comiam biscoitos enquanto eu só pensava em Joe, Joe, Joe e Joe.
Mi: O Joe...
Demi: O que tem o Joe?
Sel: Demi, você está no mundo da lua, né?
Nick: Acho que ela está no mundo do Joe.
Mi: Sel perguntou: “quem gosta de biscoito com chocolate?” E eu respondi “ o Joe”.
Demi: É verdade, o Joe que gosta disso... Saudade dele.
David: Você não quer dormir conosco?
Demi: Não, não quero incomodá-los. Deixem-me sozinha como estou.
                       
           
Demi: Eu não acredito que contaram para você._ Joe e eu estávamos conversando por telefone, como todas as noites. Contaram para Joe que eu não como direito e que não quero sair.
Joe: Contaram porque se preocupam com você, Demi! Você não pode deixar de fazer as coisas. Desse jeito você vai acabar sendo demitida.
Demi: E se eu disser que ontem... Fui demitida.
Joe: Demi, como você pensa em sustentar a casa?
Demi: Eu vou ganhar um bom dinheiro com a demissão e vou procurar outro emprego...
Joe: Não se continuar desse jeito! Demi, você está jogando sua vida fora.
                        Ficamos conversando, quer dizer, Joe brigando comigo.
                       
No outro dia, as meninas vieram conversar comigo.
Hoje eu estava bem melhor, as broncas do Joe sempre funcionam. Mentira, Joe me ligou de manhã e eu me senti bem. Convidei todos para almoçar aqui hoje, eu faria o almoço. Claro que as meninas me ajudaram.
Sel: Você está feliz hoje!
Demi: Joe me ligou hoje._ Disse sorrindo.
Mi: Quais são seus verdadeiros sentimentos?
Demi: Do que tá falando?
Mi: Você gosta do Joe, né?
Demi: Claro! Ele é meu melhor amigo.
Sel: Não é disso que a Mi está falando, Demi. Ela quer saber se você ama o Joe, não como melhor amigo, mas como homem. _ Nunca havia parado para pensar nisso. Eu sinto muita falta do Joe, mas nunca parei para pensar se o amo.
Demi: Eu... Não sei. Por que me fizeram essa pergunta?
Sel: Porque tudo que você sabe pensar é Joe, Joe, Joe, Joe... Tudo que você sabe dizer é sobre...
Mi e Sel: Joe, Joe, Joe...
Demi: Para! Eu não fico assim._ Parei para pensar... Realmente tudo em minha volta era Joe. Eu estava mesmo apaixonada por ele?_ Vocês acham mesmo que eu gosto do Joe mais do que como um amigo?
Mi: Achamos, mas só você vai saber se o ama.
                        Fiquei pensando sobre aquilo, depois me veio na memória quando Joe me disse o que era estar apaixonado, o que é amar alguém. Eu realmente não sabia o que é estar apaixonada, mas eu não consegui distinguir os meus sentimentos por ele. Durante esse tempo sozinha pensei em muitas coisas e nenhuma delas estavam relacionadas aos sentimentos. Bom, o único sentimento que eu acho que sentia era carinho, amizade e solidão. Mesmo com meus amigos aqui sempre me importunando eu me sentia sozinha. Joe era praticamente uma parte de mim.

                        Joe Narrando...
Alguns dias depois...
                        Já passaram algumas semanas desde que eu vim para Miami. Tudo aqui é maravilhoso, o lugar é lindo, as praias maravilhosas. Sempre que posso dou uma passadinha nas praias.
Bom, não adianta fingir, não é?Estou muito preocupado com a minha Demi, ela anda muito estranha. A Sel ou a Mi sempre me ligam para contar qual foram as últimas tramoias da Demi. Desde que eu vim para cá Demi tem ficado muito diferente, tenho que confessar que até a voz dela ao telefone está diferente, ela chora o tempo todo, não come direito, não sai de casa... A não ser que as meninas a arraste de casa.
Não sei o que está acontecendo com a minha Demi, ela sempre foi muito alegre, costumava sair muito... O que aconteceu com a MINHA Demi?
Estava na sacado do meu quarto pensando em como ajudar a Demi até meu telefone tocar. Era Selena, pela hora no Brasil devia ser dez da manhã.
Sel: Joe, eu não queria te preocupar até porque você está tão longe, mas estamos desesperados. Não sabemos mais o que fazer..._ A interrompi.
Joe: Selena, quer parar de me enrolar e dizer logo o que está acontecendo?
Sel: Não encontramos a Demi em lugar algum!..._ Depois dessas palavras não ouvi mais nada. Só de pensar que ninguém sabia o paradeiro da minha Demi já era o suficiente para surtar! A interrompi mais uma vez, mas mais grosso.
Joe: Vocês tentaram ligar para o celular?
Sel: Tentamos, mas o celular dela está aqui, praticamente jogado no sofá. Estou muito preocupada, Joe! Não faço ideia de onde ela possa estar... Procuramos na cidade inteira. Liguei porque pensei que você poderia saber onde ela possa estar. É o único para quem ela dá importância!
Joe: Sel... Eu não sei de nada! Procuraram no parque?
Sel: Parque?
Joe: É! Sempre quando ela está aborrecida ela vai para o parque! Ver crianças a faz pensar mais, a alegra...
Sel: Estamos a caminho... Daqui a pouco eu ligo!_ Demi só pode ser maluca! Como ela some desse jeito? E eu aqui... sem poder fazer nada!
                        Desci para tomar um ar. Morava perto da praia e ficar observando as ondas iria, eu acho, me ajudar a ficar mais tranquilo. Assim que eu pousei meus pés na água do mar, meu celular tocou, o número era desconhecido, mas eu atendi mesmo assim.
Joe: Oi!
xXx: Joe!_ Conheci a voz da MINHA Demi. Não fazia ideia de onde ela estava, mas só de ouvi-la já era o suficiente.
Joe: Pequena, onde você está? Todos estão doidos atrás de você...
Demi: Joe, eu estou bem... Já liguei para a Mi avisando a eles que está tudo bem comigo.
Joe: Está me ligando de onde?
Demi: Tive que comprar um celular novo, aquele troço estragou! Mas eu liguei para outra coisa..._ Não respondi. Conheço minha Demi, ela estava tomando coragem para dizer alguma coisa._ Sabe tem uns cinco dias que eu descobri uma coisa maravilhosa! Quer dizer, coisas maravilhosas... Joe, eu descobri o que é o amor!_ Então, por isso que ela fugiu. Para encontrar o amor!_ E é uma coisa maravilhosa, é difícil de explicar, eu já sei quem é o homem da minha vida... Nesse momento estou olhando para ele. Ele é tão lindo... Há muito tempo não o via. Estava indo a casa dele, mas eu o encontrei no meio do caminho... Isso não é ótimo? Estamos num lugar maravilhoso para fazer o que quero e o que já devia ter feito há muito tempo. Estou a ponto de dizer a ele que o amo, mas antes eu preciso saber se você se importa._ Minha vontade, meu sentimentos, meu coração gritavam para que eu dissesse “sim”, mas eu ainda a queria como MINHA amiga.
Joe: Não.
Demi: Obrigada, Joe! Tenho certeza que hoje será o melhor dia de nossas vidas!_ Demi desligou. Eu ainda tinha um nó na minha garganta. Minha vontade era de sair correndo gritando e chorando, mas eu tinha que me conter.
                        Quando me virei para ir embora dei de cara com a Demi. Era difícil saber quais eram aqueles sentimentos que dominavam meu corpo no momento. Ela estava tão linda, minha vontade era agarrá-la, beijá-la, de tê-la em meus braços, mas eu não podia agir por instinto. Meus olhos estavam cheios de lágrimas, sequei-as rápido antes que caíssem ou que Demi as visse. Fui até ela, ela não estava longe, mas também não estava perto, ela sorriu, mas ao mesmo tempo chorava, não dava para saber o que acontecia com ela.
Joe: Demi, o que faz aqui? Você não iria atrás do seu grande amor?_ Confesso que havia ironia na minha voz.
Demi: Eu estou com meu grande amor._ Eu acho que estava tendo alucinações._Joe, amo você! Não sei por que não descobri esse amor antes de você partir. Eu sempre te amei, eu só não sabia. Quando se foi eu senti um vazio tão grande dentro de mim... Como se faltasse algo dentro de mim. Eu queria você, só você. Amo você, Joe!_ Eu a beijei, na verdade ela que pulou nos meus braços. Atiradinha ela, né? Mas eu a amo e agora sei que ela me ama de verdade.
                        Aquele momento era tão bom, que eu tinha medo que fosse um sonho.  Se fosse um sonho eu queria aproveitar cada segundo.
                        Demi correspondeu ao beijo, eu a estava sentindo em meus braços. Eu apertava como se ela fosse fugir de mim, ela me ama. Eu a amei por tanto tempo que senti-la nos meus braços, como MINHA de verdade, era maravilhoso.
Joe: Isso parece um sonho!
Demi: Não é um sonho, mas se for... Melhor aproveitarmos mais._ Ela tinha razão, então eu a beijei de novo.
                       
Depois de um tempo namorando na praia, trouxe Demi para minha casa. Ela contou como “de repente” começou a se apaixonar por mim. Ela disse que não foi de repente, que ela já me amava, mas não sabia. Ela me fez prometer que voltava para a NOSSA casa agora com ela.
Ficamos na minha casa namorando e dizendo o quanto sentíamos falta um do outro durante esse tempo todo. Acabamos pegando no sono, acordei de madrugada e Demi continuava dormindo serena. Fiquei feliz de estar ao lado dela.
Levantei e fui para a sala, coloquei uma música bem baixinho era “Back at one” de Brian Mcknight. Adoro essa música, sempre ouvi idealizando Demi. Pensava em um dia contar para ela.
Sentei de frente para o som, estava tão baixo que eu me concentrava ao máximo para ouvi-la. Senti as mãos da Demi acariciar meu ombro.
Demi: Que música está ouvindo?
Joe: “Back at one” de Brian Mcknight.
Demi: Sentia falta de ouvir você cantarolar essa música.
Joe: Eu sempre a ouvia pensando em você._ Demi sorriu e me deu um beijo.  Eu repeti a música. Eu levantei e estendi a mão e então puxei Demi para dançar. Aproveitei o momento para ficar mais perto dela e poder dançar bem agarradinho a ela.
Demi pousou a cabeça no meu ombro a fim de dançar ficar mais próxima de mim. Aquela música era maravilhosa e com certeza era tudo o que eu queria falar para Demi. Então, cantei baixinho ao pé do ouvido.
Joe: ♫♪ “É tão incrível como as coisas acontecem sozinhas. É tudo emocionante quando você descobre do que se trata e é indesejável que nós fiquemos separados, eu jamais teria ido muito longe. Porque você sabe que tem as chaves do meu coração”♫♪
                        Demi tirou a cabeça que estava pousada nos meu ombro e ficamos frente a frente, eu queria tanto beijá-la, mas ao mesmo tempo apreciar.  Demi olhava os meus lábios, queria saber o que se passava naquela cabecinha maluquinha dela. Ela passou o nariz no meu e me beijou. Demi tomou a iniciativa do beijo. Eu o queria tanto que não resisti e resolvi apreciar o momento de um jeito novo. Aqueles lábios macios nos meus, eram os lábios da MINHA Demi. Nosso beijo seguia o ritmo da música assim como nossos pés. Aquele beijo marcou o inicio de uma nova vida tanto para mim como para o amor da minha vida.
                        Hoje Demi e eu estamos casados por quase dez anos, tivemos algumas brigas, mas elas só serviram para nos aproximar mais. Temos quatro filhos, eu sei que quatro é um numero bem grande, mas Demi e eu gostamos da casa cheia. Eu acho que Demi está grávida do nosso quinto filho, não tenho certeza, mas se estiver ele será muito amado. Bom, até hoje, que eu saiba, temos dois meninos que são Lucas e Alexandre. E duas meninas que são Mariana e Beatriz. O que posso dizer dos meus filhos? São arteiros e lindos que nem a mãe! E eu os amo como amo a mãe deles.
                        Com isso tudo eu não posso dizer que não aprendi nada, porque eu aprendi. Agora sei que quando você ama não é pra fugir... É pra correr! Mas correr atrás do seu amor e nunca desistir dele, pois um dia você o terá, pode até parecer que tudo está ao avesso, que tudo não está dando certo, mas tudo tem o seu tempo.
Autora: Bah Chris
Imagem: Deise Guimarães
Edição: Ruh Viana

Fim

Meus amores, chegamos ao final de mais uma mini. Felizmente vem muito mais por aí. Como dissemos na última postagem, a Deise está vibrando de alegria, pois a vez dela finalmente chegou. É o carma de ser o “D”.
Quase deliramos de alegria quando chegamos a marca de 115 seguidores. Pensamos: “Nossa! Isso é um sonho!”
Para nós ainda era uma utopia 115 seguidores, mas como veem, coisas inesperadas acontecem! E depois com 9 (nove) comentários! Dessa vez dissemos: “ Isso é realmente um sonho!”
      Sério, estamos no mundo da lua graças a vocês!
Amamos vocês!

Agradecendo e respondendo aos comentários:

Carol Dabaras: Nós agradecemos de coração esse carinho que você tem por nós. O melhor blog? Será? As vezes fica difícil acreditar... Obrigada por todos esses elogios! Nossa que legal! Você está lendo duas histórias ao mesmo tempo? Uau! Como consegue? Fique ligada, pois tem mais surpresas, agora Nelena, vindo por aí. Continue de olho nos nossos postes, viu? Beijos.

Diéssi Konorath: Espero que sua dúvida seja esclarecida, anjinho. Obrigada pelo carinho! Continue de olho no nosso blog. Não esqueça: tem muitas surpresas vindo por aí! Diéssi, ainda não tivemos a oportunidade de ler o seu blog, mas assim que um tempo surgir iremos fazê-lo. Beijos!

Karen: Tem toda a razão, ninguém fica normal depois que entra naquela escola. ( Bah: Deise é a prova viva disso!) Não te vimos na escola, inclusive a sua sala estava com a porta fechada. Infelizmente, acho que não vamos nos ver até o ano que vem, vamos só tc por MSN mesmo. Que triste!

     Clara: Obrigada pelo selo, florzinha! Amamos recebê-lo!

Flávia: Obrigada por todo o carinho, amoré! Espero que tenha gostado desse último capítulo! Obrigada pelo selinho foi recebido com muito amor, viu? Beijos!

D. Meyer: Quanto tempo não comentava aqui, flor! Sentimos a sua falta, achamos que tinha nos abandonado, sabia? Eu entendo como são as semanas de provas, são semanas bem difíceis! Espero que tenha ido bem nas provas. Obrigada pelo elogio, não nos deixe, viu? Beijos!

Kauana: Oi, seja bem-vinda ao nosso blog! Espero que esteja se sentindo como se fosse da família R.B.D. Já está postado, viu? Beijos!



Divulgações:



    Galera, ficamos por aqui hoje!
    Espero que tenham gostado e que estejam animados para mais uma etapa vindo aí! Não esqueçam que estamos sempre de olho!
     Nós amamos vocês!

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

5 comentários:

Diéssi Konorath disse...

AAAAAAAAAAAA eu amei OWN.
POSTEM LOGO
POR FAVOR
beijos

Diéssi Konorath disse...

PRIMEIRA

Flávia disse...

Obrigada por divulgar lindas (:
O final da fi está perfeito *--*
Eu sabia que ela amava ele :D
Postem logo a próxima!!!
Beijos*

Kauana disse...

Ficou linnndo o ultimo capitulo :)
muuuito Lindo mesmo, amei
Posta logo, estou esperando a proxima fic viu ?
Beeijos

Ƹ̵̡Ӝ̵̨̄Ʒ●๋•кαર૯η м૯રiℓуη●๋• disse...

OMG!OMG! Muito perfeito, amei MESMO.

Eu não tive aula terça, tambem estou triste porque ano q vem vamos estudar em turnos diferentes, mas nós vamos ter q dar um jeitinho de nos ver, vou sentir saudades, não só de vc, mas da Ruh e da Deise tbm, gostei do jeitinho maluquinho delas.
Sempre q possivel vou entrar no msn pra conversar com vc, beijemi. Te adro! <3

Postar um comentário